quarta-feira, 29 de março de 2017

Os Bebés Também Querem Dormir

Não é fácil de ler, enquanto o bebé chora, se mudam fraldas e se tenta dormir e fazer as coisas da casa. Mas, a pouco e pouco, nos intervalos, vai-se comendo linha a linha.
E ao mesmo tempo, vai-se conhecendo o bebé, e percebendo que há frases que nos fazem muito sentido.

E assim cheguei ao fim, com esta conclusão: um livro que pode ser útil na maternidade.
Porquê? Porque oferece apoio e segurança. E é isso que uma mãe precisa.
Melhor: é um livro bom para os pais.

Autor: Constança Cordeiro Ferreira
Edição: 5ª, Julho 2016
Editor: Matéria-Prima Edições
ISBN: 978-989-769-015-0

quarta-feira, 22 de março de 2017

Bolo de Alfarroba

4 Ovos
+- 150g Açúcar amarelo (em alternativa: 4 colheres de mel)
8 Colheres de chá de cacau amargo em pó
1 Iogurte natural
100ml Óleo de coco
1 Pacote de farinha de alfarroba de 250g
2 Colheres de chá de fermento em pó
1 Medida de água

Juntar um a um os ingredientes, pela ordem acima, e ir mexendo.
Usei uma forma de silicone, mas será preferível uma com fundo amovível e untar, porque se parte muito (fica húmido).
Forno pré-aquecido a 170 graus, durante 30 minutos.

 (foto da Rafaela)

domingo, 30 de outubro de 2016

40 semanas

40 semanas.
Surgiste dentro de mim, e parece que nos conhecemos há tanto tempo, e foi apenas há alguns meses. Digo até que crescemos juntos, e passámos por grandes momentos em conjunto.
Vives dentro de mim. Amado, protegido, quente, aconchegado... Em paz.
Mas está na hora de saíres. De deixarmos de ser egoístas, e vivermos um para o outro. De seres só para mim e eu ser só para ti.
Há todo o Universo para descobrir. E eu vou estar contigo, nessa aventura. Não seremos mais só nós, mas muitos mais, contigo, a explorar aquilo que nem podes imaginar ainda. Vais desenvolver os cinco sentidos, instintos e muitas outras capacidades do teu corpo e mente, e com eles aprofundar vários modos de interagir com o mundo, que ainda não conheces directamente.
Sei que não te posso proteger de tudo, nem sempre. Vais conhecer o frio e o calor, a alegria e a tristeza, o bom e o mau... Nem sempre percebendo o que vais encontrar, e porque é que muitas coisas acontecem. Vou estar contigo, mas não vou conseguir sempre explicar-te tudo. E vou cometer erros, às vezes chatear-me. E chorar. Muito. Como já estou a fazer agora. Mas vou-te amar, sempre.
Cá fora te esperamos.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

As 50 obras essenciais da literatura portuguesa, in Diário de Notícias, 2016

http://www.dn.pt/artes/interior/as-50-obras-essenciais-da-literatura-portuguesa-5140124.html

Não era bem o que eu escolheria, mas não estou mal:
Os Lusiadas - só se for maluca, ler do início ao fim. Já chega o que li na escola (a vida é curta, e há mais livros).
Livro do Desassossego, Fernando Pessoa - está começado, há uns dias apenas :) (apesar de o ter desde 1997!!!)
Os Maias, Eça de Queiroz - já li (escola, que bem me fizeste...) e vi o filme, já chega
Cancioneiros Medievais (Cantigas de Amigo e de Amor) - lembro-me da escola, também já chega
Memorial do Convento, José Saramago - várias tentativas, um dia há-de ir*
Viagens na Minha Terra, Almeida Garrett - comecei, mas não me lembro se acabei
A Sibila, Agustina Bessa-Luís - estou a vê-lo... comecei mas...
Aparição, Vergílio Ferreira - li no 12º, era obrigatório, mas não me lembro, está por cima d'A Sibila, no mesmo monte-lista-de-espera
O Erro de Descartes, António Damásio - lembro-me de o ter, mas não encontro.


PS - Nada de Miguel Torga?!? (esquecido pelo Nobel, esquecido pelos portugueses?)

* fui buscar, verifiquei a marquinha, e coloquei onde?... no monte-lista-de-espera ...

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Sorri sempre,
ainda que o teu sorriso seja torto.
Porque mais torcido que o teu sorriso torto,
é a tortura de não saber sorrir.

(é a minha versão do momento)

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Natureza Morta, Paulo José Miranda

Mais um livro do BookCrossing.

Uma história sobre a melancolia da vida e a certeza da morte, vista pelos olhos, sentida pelos pensamentos e ouvida pela música do compositor português João Domingos Bomtempo.

"Não é que a vida valha pelo que dela fazemos ou pelo que nela fazemos, a vida vale pelo que não deixamos que ela nos faça. A vida de um homem vale tanto mais quanto mais ele conseguiu contrariar a própria vida, contrariar com uma linguagem a liberdade da alma e o destino da carne."

"Sim, porque a vida humana só existe enquanto se nega a si própria através da linguagem. O sentido da vida é destruir-se a si própria antes do fim, antes de ser dominada pela Natureza e pelo Tempo; uma luta de morte contra a sua liberdade."

Agora, vou deixar-te onde te encontrei: na Biblioteca Municipal de Sintra.


Natureza Morta
Autor: Paulo José Miranda
Edição: Círculo de Leitores
Ano de Edição: 2000
ISBN: 972-42-2209-8

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Triologia da Hortense



Mais uma vez... comprei estes livros em 1997. E passaram 17 anos até acabar de ler os três!...

Após este tempo todo, e incluindo uma leitura dupla do 1º volume (por onde fiquei há alguns anos...), posso dizer que a leitura é difícil, apesar de ter gostado da história.
O autor, Jacques Roubaudé escritor e matemático, e escreveu o livro com uma fórmula complexa, ainda que no final as contas batam certas. A crítica aos livros foi boa, o autor é privilegiado, mas para mim, perde-se um bocadinho entre divagações, e isso dá-me sono.

E Hortense? É uma heroína descrita pelas suas belas curvas, que surge num enredo de mistérios e crimes, que casa e descasa, é depois raptada e recuperada, segue o príncipe amado até à sua Poldévia, e no fim foge com ele.

Editor: Edições Asa
Coleção: Letras do Mundo

sexta-feira, 12 de julho de 2013

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Cão Raivoso

Sérgio Godinho

Mais vale ser um cão raivoso do que um carneiro a dizer que sim ao pastor o dia inteiro e a dar-lhe de lã e da carne e da vida e do traseiro Mais vale ser diferente do carneiro um cão raivoso que sabe onde ferra olhos atentos e patas na terra.
Viva o cão raivoso tem o pelo eriçado seu dente é guloso e o seu faro ajustado Cão raivoso, cão raivoso, cuidado.
Mais vale ser um cão raivoso que um caranguejo que avança e recua e depois solta um bocejo e que quando fala só se ouve a garganta no gargarejo Mais vale não ser como o caranguejo um cão raivoso que sabe onde ferra olhos atentos e patas na terra.
Viva o cão raivoso tem o pelo eriçado seu dente é guloso e o seu faro ajustado Cão raivoso, cão raivoso, cuidado.
Mais vale ser um cão raivoso que uma sardinha metida, entalada na lata educadinha pronta a ser comida, engolida, digerida e cagadinha Mais vale ser diferente da sardinha um cão raivoso que sabe onde ferra ferra fascistas e chama-lhe um figo olhos atentos e patas na terra.
Viva o cão raivoso tem o pelo eriçado seu dente é guloso e o seu faro ajustado Cão raivoso, cão raivoso, cuidado.
Mais vale ser um cão raivoso dentes à mostra estar sempre pronto a morder e a dar resposta a toda e qualquer podridão escondida dentro da crosta dentro da crosta das belas ideias gato escondido de rabo de fora dentro da crosta das belas ideias gato escondido de rabo de fora.

É assim que eu me sinto hoje.
(e amanhã e depois...)
(há muitos hojesssssssss...)


terça-feira, 25 de junho de 2013

Sim, gosto de fungos!


Nov 1983 sorriso do cogumelo



Dez 2006 cogumelo vermelho (Serra de Sintra)






quinta-feira, 13 de junho de 2013

A Quimera

Andava com este livro às voltas desde 1994. Já passaram uns aninhos! Acho que surgiu a partir das aulas de português, na escola, mas desde que o comprei (como muitos outros), ficou a ganhar pó.
ruel, como a História o foi.

O percurso de vida de uma criança abandonada e depois recolhida, mas invejada e, por consequência perseguida e acusada de ser bruxa, até à sua morte, na fogueira, como caso exemplar para uma época em que a Inquisição reinava no seio da Igreja Católica.


A Quimera Sebastiano Vassalli
Edição/reimpressão: 1994
Páginas:
406
Editor:
Edições Asa
ISBN:
9789724112947
Coleção:

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Vão morrendo...

Vão morrendo as coisas que nos unem.
E os uivos de tristeza que se calam.
E, envelhecida, a carne enruga-se.
E rasga.
Já não oiço nada. Já não sinto. Estou livre.

ABRI O ENVELOPE

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Pãezinhos de Queijo

Ora, o que me apeteceu fazer ontem à noite?...

Uma receita que vinha na embalagem de Polvilho Doce (ou seja, fácula de mandioca) da Globo®.
Do Brasil, e em Brasileiro, claro! (com algumas achegas e clarificações, e eventuais adaptações à realidade ritolesca)

Ingredientes
500g de polvilho doce
2 chávenas de leite
1 chávena de óleo (-> meia, se não é só gordura por todo o lado!!!)
4 ovos
2 chávenas de queijo ralado (usei 1 de queijo da ilha e 1 de mozarella)
sal a gosto

Preparação
1) Ferver o leite como óleo e o sal, e escaldar o polvilho (ou seja, após desligar o fogão, misturar a fécula, ficando uma papa algo elástica)
2) Deixar esfriar.
3) Acrescentar os outros ingredientes e amassar bem.
4) Fazer bolinhas e cozer em forno quente (fiz bolas com 4cm de diâmetro, que demoram cerca de 20 min a ficar com este aspecto, em forno termóstato 7-8).


quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Antes de ir de férias, é melhor estar na moda

Anos e anos a vomitar uma determinada farda, e eis que, no ano de 2010, numa loja em Amesterdão!
(pelo menos, foi o que me contaram...)




Parecença excessiva!!!                             

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Quem anda à chuva molha-se...

Na minha versão actual:
quem anda na estrada, encosta-se...

Bolas!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Cremes para tapar buraquinhos...

(Conversa de gajas)
- Ó Rita, tu usas cremes? Para os buraquinhos da celulite?
- Sim, sim, uso. Vários!
Creme de ovos, creme de pasteleiro, creme de chocolate...
Para tapar os buraquinhos das papilas gustativas.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Triste e Revoltada




DataHoraLocalConcelhoDistritoPonto SituaçãoTipo
26/814:24Nave da Sé / Penedo da SéGUARDAGUARDAEm CursoInc. em Mato
26/814:54Accionados para o local, dois Aviões Bombardeiros Pesados CANADAIR.
26/815:25Incêndio com uma frente activa.
26/815:33Comandante das Operações de Socorro (COS) Adjunto de Comando do Corpo de Bombeiros da Guarda.
26/816:04A caminho do local, Comandante Operacional Distrital – (CODIS).
26/816:06A caminho do local, Veículo de Planeamento, Comando e Comunicações (VPCC).
26/816:34Comandante das Operações de Socorro (COS) Comandante Operacional Distrital – (CODIS).
26/816:38Incêndio com uma frente activa.
26/817:28Posto de Comando Operacional (PCO)Situado no cruzamento de Monte Perobolso com Ade.
26/817:45Accionado para o local, Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais (GRIF) 1 de Castelo Branco.
26/817:50Accionado para o local, um Helicóptero Bombardeiro Pesado KAMOV.
26/817:52Incêndio com uma frente activa.
26/818:25Accionado para o local, Grupo de Reforço para Combate a Incêndios Florestais (GRIF) 1 de Santarém.
26/818:30Encontra-se cortada a linha ferroviária entre Guarda e Vilar Formoso.
26/818:30Accionado para o local Grupo de Reforço Ligeiro (GREL) da Força Especial de Bombeiros (FEB).
26/819:07Incêndio com uma frente activa.
26/820:13Incêndio com três frentes activas.
26/821:19Incêndio com três frentes activas.
26/823:00Governador Civil no local.
26/823:03Oficial de Ligação da GNR e Técnico da Autoridade Florestal Nacional no local.
26/823:15Incêndio com três frentes activas.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Entre-livros


Livros por todos os lados, por ler e outros a meio, no início, a três-quartos...
Depois, surgem leituras fáceis, mas agradáveis, mini-novelas de um dia-a-dia qualquer.
Foi o que aconteceu, desta vez. Uma leitura de ocasião, que me caiu no colo quando tinha pouco ou nada que fazer.
Não comprava, mas gostei de ler.

Não Digas a Ninguém, de Luísa Castel-Branco

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Eu, cabeça-de-alho-chocho

Para ver o estado de estupidez mental em que me encontro...
Tive de ver como se escreve a expressão que me define na perfeição :)
in CIBERDÚVIDAS DA LÍNGUA PORTUGUESA...

A grafia de cabeça-de-alho-chocho
[Pergunta] A expressão "cabeça de alho xoxo" escreve-se:
"alho-xoxo" ou "alho choxo" ou "alho chocho"
Ou de outra forma?
Miguel Marques :: :: Portugal

[Resposta] Escreve-se cabeça-de-alho-chocho, segundo Guilherme Augusto Simões, Dicionário de Expressões Populares Portuguesas (Lisboa, D. Quixote, 2000). Significa «distraído; pouco atinado, com falta de senso; esquecido; que não consegue reter nada na memória».

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Massagem a 8 mãos...


O resultado não poderia ser outro... Uma bela adormecida!
              Parabéns, C.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Escoliose de Personalidade

Já me apercebi de quem seja um bocadinho torto, por defeito ou feitio, em graus e ângulos diversos. A tal, eu chamaria uma ligeira escoliose...
No entanto, há quem tenha uma grave escoliose de personalidade, cujo dono aperfeiçoa e prima em melhoramentos. Esses já nem são tortos, são mesmo torcidos, tipo parafuso.
Uns têm uma tortuosidade flexível, conforme o tempo, ou o vento, vão virando. Faz parte de uma instabilidade possível no ser humano. Outros, têm uma tortuosidade posicional, o que acaba no mesmo. Muitas vezes tolerados, de acordo com o(s) nível(eis) de atingimento, outras nem por isso, quando se balanceiam entre extremos.
Será um defeito congénito, ou adquirido? Será que se agrava com a maturação?? É influenciado por que factores???

Depois, há uns que vão ao ferreiro tentar corrigir, com dolorosas manobras, a inclinação que os aflige, com maior ou menor grau de endireitamento. Outros, por sua vez, esforçam-se por descair a sua escoliose para cima dos outros - toma lá um bocadinho do meu peso...

Eu cá, às vezes, acho que sou um bocado torta, apesar dos esforços de me tentar endireitar. Já levei com algumas marteladas, após processos de aquecimento extremo para não partir...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Quarentena

Hoje começa a contagem decrescente.
40... 39... 38... ... ... 30... 27... 19... 11... ... 7... 3... 2... 1... Triplo exame!
(a minha felicidade irradia por todos os poros)

terça-feira, 25 de maio de 2010

Humor verde, de mecónio.

Tentei fazer um creme de cenoura com espinafres: 1 batata, 1 cebola, 3 cenouras e espinafres q.b.

Resultado: a minha sopa parece mecónio. Verde, verdinha, espessa.
Miam, miam, e está boa.

Nota - Será que exagerei no q.b.?...
(PS - Depois do CV, o estudo para o triplo exame. Só podia dar nisto! A ver vamos...)

domingo, 16 de maio de 2010

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Privação de Sono

A privação de sono* é uma tortura.
Auto-inflingida, nem sei como chamar-lhe.
PS_Atentem às horas do post (é o CV...)

*vulgo não dormir,
estar pedrada de sono,
andar dormir em pé,
ter palitos para segurar os olhos...